Reconhecimento é coisa muito seria!

Recebi o seguinte texto da querida psicóloga Melka. Neste, ela disserta sobre a importância de reconhecermos as produções dos nossos filhos, estou super de acordo!!!

Reconhecimento é coisa muito seria!

O olhar de quem importa constitui o sujeito.
Como assim?
O olhar dos pais constitui o filho. Um olhar que investe, que elege coisas nobres no outro, vai incentivar uma resposta neste sentido.
O reconhecimento cumpre um papel muito importante de dar ao outro condições de existência. Se eu (pai ou mãe) não reconheço o outro (filho), ele passa a se relacionar na vida e com ela, de modo a não se apropriar dela ou passar a vida tentando se apropriar dela. Quando isso deveria ser condição posta!
A vida nos pertence porque o olhar de reconhecimento está internalizado. Quando há lacunas, há luta pela existência e consequentemente produções sem
potência, uma vez que a potência está para ser reconhecido.

Eu não conheço nenhum filho que nunca buscou reconhecimento nos pais. Por exemplo:
– Olha pai o que eu fiz!
-Nossa que lindo este desenho, vc esta cada vez melhor.

Ou então:
-Olha pai o que eu fiz!
-nossa que desenho sujo. Você sabe que eu gosto de desenho organizado, não sabe?

Mais:
-Olha mãe a dança que eu inventei!
-Poxa, você sabe fazer direitinho este passo, parabéns!

Ou:
-Maaaaae, vem ver isso! Eu que fiz sozinha.
-Que saco, já falei pra para de sujar a casa.

Enfim, sempre podemos eleger um olhar frente a uma produção. Seja de aprovação ou desaprovação. Reconhecendo o bom ou aniquilando o potencial criativo do outro.

Quando reconhecemos o outro, legalizamos o espaço e a produção dele. Neste instante estamos dando recursos para que o outro se aproprie das suas potencialidades e possa ser um adulto independente e produtivo.

Caso contrário estaremos cultivando um adulto imaturo, inseguro e que ainda busca por um reconhecimento importante. Ou seja, ainda busca este olhar dos pais.

Quantos adultos conhecemos que não estabelecem bons vínculos com seus chefes? Que se comportam de maneira infantil esperando um bom olhar para sua produção, também infantilizada?

Pois é, o pai e a mãe têm esta grande missão (para além de muitas e infinitas outras): dar ao filho condição de sujeito. Condição de bancar seus próprios desejos na vida e ser digno emocionalmente.

Bj
Melka Romano

No Comments Yet.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.


:D :-) :( :o 8O :? 8) :lol: :x :P :oops: :cry: :evil: :twisted: :roll: :wink: :!: :?: :idea: :arrow: :| :mrgreen:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.