Meus erros como pai

maoooo

Meus erros como pai

Quando me tornei pai  o que eu sabia se tornou um fato: Que minha vida mudaria para sempre. Eu não só me tornei um pai, mas até  aquele momento, eu tinha muitas ideias sobre o que a vida seria com as  crianças, mas não tinha a menor experiência real. Mal sabia eu que tudo mudaria!

Eu não tinha ideia do quão pouco sabia sobre ser pai. talvez eu me sentia qualificado para ser um pai só porque eu tinha alguns pelos faciais para raspar e tinha sido capaz de cuidar de vários cães ao longo da minha vida, alimentados e bem de saúde.
Imaginei que ter filho seria relativamente fácil. Como eu era um ignorante….

Tive mais quatro filhos desde aquele dia. Minha família é o maior presente que Deus já me deu,  e eu não trocaria o dom da paternidade por nada no mundo, mas eu gostaria que alguém tivesse me dito algumas coisas antes de eu aprendê-las pela maneira mais difícil.

Coloco abaixo alguns destes erros que cometi na última década das trincheiras da paternidade. Espero que seja útil para você quando se ver pai pela primeira vez.
Opa, aprender com meus erros não significa que que vá evitar os mesmos de imediato. Veja bem, uma  pessoa inteligente aprende com seus próprios erros, mas uma pessoa sábia também aprende com os erros dos outros!

Tive mais quatro filhos desde aquele dia. Minha família é o maior presente que Deus já me deu

  • Trate seus filhos como um ser único

Eu tinha um jeito de tratar todos iguais e aprendi da maneira mais difícil que isto não funciona. Cada criança tem uma personalidade magistralmente única, e se tentamos espremer-los todos no mesmo molde, todo mundo vai acabar frustrado. Claro, é necessário que hajam regras e normas que se aplicam a todos na família, mas a abordagem a cada criança tem que ser tão única quanto os nossos filhos são.

  • Bem-vindo as interrupções

Quando quero fazer alguma coisa específica, como ler, eu começo e não gosto de ser interrompido. Meus filhos parecem ter um temporizador integrado, porque eles esperam até que eu esteja em concentração máxima para interromperem querendo falar sobre algo. Isso costumava me frustrar, mas eu aprendi a acolhê-la. Esses momentos são presentes e os tempos que meus filhos vão realmente querer minha atenção irá se passar muito rápido (sim, eles vão ser adolescentes muito em breve)!
As vezes ainda me pego em meu próprio mundo pequeno,mas eu tento me lembrar que tudo o que eu estou fazendo não importará em dez anos quase tanto como o meu relacionamento com meus filhos importa.

  • Aprenda a dizer “NÃO”

Eu sou um cara que gosto de fazer todo mundo feliz. Essa mentalidade me trouxe um monte de problemas como pai, porque eu disse “Sim” tantas vezes que podem ter causado alguns comportamentos negativos nos meus filhos. Estou aprendendo o poder e a beleza da palavra, “Não”. Tem de haver um equilíbrio. Eu ainda acho que não encontrei completamente o equilíbrio, mas eu estou bem melhor do que era no começo.

  • Encontre mentores

Eu não me permitia pedir ajuda e conselhos como um pai. Eu estava com medo de admitir que não tinha tudo planejado. Quando passei a estender a mão para alguns casais mais velhos e ouvir seus conselhos, aprendi algumas ferramentas maravilhosas para o processo da paternidade. Ou seja, esteja disposto a desenvolver um relacionamento com pais que estão em fase mais adiantes de suas jornadas com filhos mais velhos, onde se comportem como você gostaria que os seus filhos se comportassem. Não tenha receio em conversar como eles fizeram isso!

  • Não delegar as coisas importantes

Me parece que em nossa cultura adotamos uma atitude passiva em relação à parentalidade, onde permitimos que escolas, instituições religiosas, amigos de nossos filhos e até a televisão ensinem os valores da vida. Percebi que não podemos esperar que as instituições ensinem nossos valores para as crianças. Esse é o nosso trabalho como pais. Se você acha que algo é importante para o seu filho para saber, seja o único a ensiná-los e também estar disposto a modelá-lo em sua própria vida.

  •  Tome as decisões parentais em parceria completa com o seu cônjuge

A maioria das discordâncias dos casamentos são originados por causa da diferença de estilos de educação parental. Não cometa o erro de fazer do seu jeito, independente do que a mãe faz. A comunicação é muito importante e vocês tem que estar de acordo com algumas primazias. Certifique-se que as crianças estão ouvindo uma mensagem unificada de ambos os pais, em vez de duas mensagens separadas. Se não der, paciência, os filhos irão ter duas educações distintas. é isto que você quer?

  • Ria mais

Há momentos que definitivamente a parentalidade exige seriedade, mas acredito firmemente que as famílias alegres são as famílias mais fortes. Eu quero que o riso seja a trilha sonora de nossa casa. Eu quero que meus filhos dancem, pulem, se divirtam. Essas são as memórias que durarão e são estes os momentos de vínculo que junta as pessoas. Promova o riso em sua casa. Torne sua casa um lugar seguro para ser feliz.

  • Não seja tão duro consigo mesmo

É importante ter uma auto-avaliação frequente e honesta sobre si para que possa continuar a melhorar, mas você tem que estar sempre disposto a se dar um monte de graça. As vezes você está prestes a explodir. Quando o fizer, esteja disposto a admitir que está em um momento crítico, aprenda com ele e siga em frente.

Acima de tudo, continue amando sua família. No final, o amor vai ser tudo o que realmente importa, de qualquer maneira.

 

Clica no coração e mostre que curtiu a matéria!
Quer compartilhar? Fique a vontade, só não se esqueça de me mencionar! 😉
Comentários?? Somos todos ouvidos!! Adoro trocar experiências!

 

Compartilhe:

Este post tem 42 comentários

  1. Nara Santos

    Adorei o texto!!! Realmente é errando que se aprende! Talvez se tivessem te dito algo antes vc não teria a experiência que adquiriu hj. Parabéns!
    Amei a leitura.

  2. Claudia Bins

    Quanta sabedoria em forma de palavras Bisker. Teu post me emocionou e tocou lá no fundo. Aprendo muito com você.

    1. Que legal Cláudia! Palavras assim me dão força para continuar cada vez mais! Obrigado!!!!

  3. Fabiana

    Bisker que texto lindo e emocionante. Na maternidade também cometemos erros. Amei suas dicas!

  4. Mãe de Guri & Guria

    Adorei tuas reflexões Adriano!
    E gostei muito de ter incluído o item 5. Como professora já presenciei muitas famílias acreditarem que valores devem ser aprendidos na escola, mas não exclusivamente. Os valores, a educação deve primeiro vir de casa, dos pais, para aí sim se estender pela vida toda.

  5. Juliana Carreras

    Poxa, Bisker! É exatamente isso! E principalmente rir mais! A correria do dia a dia está roubando os nossos sorrisos e, consequentemente, os dos nossos filhos! Parabéns pelo post!

  6. Fabiana

    Parabéns pelo texto. É tão difícil admitir nossos erros. Adorei as dicas!

    1. Que legal, Lou, adoro saber quando consigo mexer com as pessoas para que reflitam!

  7. Deia Tomaz

    Adorei o texto (como sempre), mas o ultimo ponto é o que mais me chama a atenção… como somos duros conosco mesmos!! e como isso é pesado…
    Por menos dias de culpa e mais dias de sorrisos (mesmo depois de ter constatado que errou, sorria, junte os cacos e siga em frente)!

    Deia Tomaz – http://www.lancheiradojoao.com

    1. Exatamente Deia!!!! Adorei a sua atenção e perspicácia, temos se ser mais leves e aproveitar sempre né?

  8. Lendo seu texto vou aplicar daqui por diante a auto avaliação, sobre tudo que fiz, e quais aspectos melhorar. Obrigada.

    1. Que legal!!!! Nada melhor do que olharmos para nós mesmo em busca de melhorar sempre!

  9. Luciana

    Que maravilhoso ver o desempenho de um pai. E é exatamente isso que tenho vivido, o “errando e aprendendo”. Sempre achei que eu, por ser mãe, tinha que saber tudo. Que grande erro… hoje sei que a experiência dos meus próximos me ajudam muito, quando tenho alguma dúvida são a eles que recorro. Parabens!!! Beijo

    1. Tudo tem que ser compartilhado, não estamos sozinhos nesta jornada que é educar nossos filhos!

  10. Fanny leão Carpentieri

    Sempre muito bom ler seus posts! Também tenho muita dificuldade em dizer não. Porém se dissermos sim para tudo estaríamos criando um adulto frustrado pois a vida vai lhes dizer muitos naos! Eh melhor acostumar desde cedo!

  11. Marta

    aprender a dizer não e respeitar a personalidade da criança acho q são as tarefas mais dificeis na criacao dos filhos

  12. Adorei o post e realmente com nossos erros aprendemos né, e algumas coisas até as vezes são faladas para nós antes de noa tornarmos pais mais não damos atenção ou achamos exagero né

    Michele Gobbato – Espaço das Mamães

  13. Tatiane Lopes Pereira

    Que texto lindo Bisker! Quem nunca errou né? mas sempre tentando acertar bj

  14. Carol gandra @caroleassinhazinhas

    Adorei!

  15. Carol gandra @caroleassinhazinhas

    Muito bom!

  16. Jacky lima

    Sempre achei que a paternidade era mais fácil que a maternidade, mas lendo seus post’s aprendi que não!

  17. Mariana

    Que texto lindo e muito bom de ler Adriano.
    Parabéns.
    Vamosmamaes.blogspot. com.br

  18. Laís Sass

    Parabéns pelo seu texto Bisker!!! As vezes penso que a paternidade é mais leve que a maternidade, mas te acompanhando vejo que estou muito enganada! E vamos rir mais!!! Nossos filhos são bênçãos. <3

  19. JAMILE ROMEU

    Só o tempo e os erros para nos ensinar!!! Sempre lembro do seu vídeo dizendo que quando a coisa fica feia, vc tira o aparelho e dá umas boas gargalhadas da situação!! kkkk

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Relacionados

birra2

Não tenho que fazer!

Agora eu penso como tenho pena dos meus pais. Quando eu era criança, provavelmente devo ter dito um zilhão de vezes que estava entediado… Seguindo

Leia mais »

Chag Purim Sameach!

Estamos durante as festividades de Purim. Purim é um dos mais alegres e festivos feriados na tradição Judaica, sabia? A fonte desta festividade está no

Leia mais »