Como cuidar do filho quando o mundo está desconexo?

Por 0 , , , , Permalink 1

Hoje a Mel me mandou o seguinte texto em que expõe sua indignação sobre a imposição de as crianças terem um mesmo brinquedo, somente pelo motivo de que tem que ter!

Vale a leitura!

Como cuidar do filho quando o mundo está desconexo?

Parece-me que a conexão humana está em extinção. Intuição? Empatia? Lógica Subjetiva? Afeto? Confiança? Vínculo? Verdade? Desejo? Direito à existência? Diferenças? Diálogo?

Tudo isso passa a ser questionado quando percebo, através da minha prática clinica, movimentos “ditatoriais” em crianças de 7/8 anos ao se relacionarem com a boneca American Girl (hoje ela, noutros tempos, qualquer brinquedo que faça a mesma função!)

– Se vc não tem uma, AMERICAN GIRL, não pode brincar com a turma!!!

Para além desta postura rígida (pra não entrar em palavras mais fortes e vermelhas) as crianças burlam a regra da instituição escolar, levando a American Girl todos os dias para a escola e não só nos dias de brinquedo.
Sim, há dias para brinquedos! QUALQUER BRINQUEDO QUE SE QUEIRA BRINCAR!
Mas vc realmente acha que alguma menina vai querer outra coisa senão a “americanazinha” típica, que pouco tem de Sul, para sentir-se parte do grupo.

Quem tem, ótimo! Ótimo????
Mas, quem não tem? Vira empregada latino-americana das casas das americanas. Certo? Certo. Infelizmente isso acontece.

Devemos achar mesmo que nossas crianças devam levar uma vida à imagem e semelhança desta boneca e tudo que vem junto com ela?

Num momento de ecologia. De sustentabilidade. De preservação para a vida. De luta por perspectiva e futuro, olha só o é implantado na estrutura psíquica e visão de mundo das nossas meninas. Um estereótipo arredondado fadado ao colesterol, intoxicando o que se tem de melhor no sangue.

Portanto, não deixemos a desconexão grudar nas tramas que unem vc ao seu filho.
A desconexão está imposta, infelizmente, no mundo.
A conexão é tão sensível (como a sintonia do rádio mesmo), tão sutil, que só com este olhar atento nos conectamos ao nosso filho e oferecemos a ele condições humanas.

Escrevo somente por um desconforto meu e por um desejo de que cada criança possa criar seu próprio brinquedo e pertencer pelo simples fato de existir.

Instituições, não se eximam do lugar funcional de pai e mãe! Além de educadores de indivíduos.

Obrigada

Bj
Melka Romano

No Comments Yet.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.